segunda-feira, 28 de março de 2011

A não perder!!

Há sempre uma primeira vez para tudo e hoje, aproveitando que é segunda feira deixo 3 dicas de 3 livros fenomenais que fazem maravilhas à alma e à neura!!!
Enamoramento e Amor de Francesco Alberoni
PVP 15,90 euros

Um clássico do tema, da autoria do sociólogo que revolucionou os estudos acerca da amizade, do amor e do sexo. Um livro apaixonante acerca das dinâmicas e das particularidades da paixão e do amor. A ler sozinho...ou a dois!
Viver! de Louise L. Hay
PVP 15 euros
Louise Hay já ajudou milhões de pessoas em todo o Mundo  alcançar o seu potencial mais profundo e a viver com mais harmonia e equilíbrio. Em Viver!, aborda questões específicas relacionadas com cada etapa da nossa vida, revelando-nos melhores formas de lidar com o nosso corpo e manter uma postura mental e espiritual saudável.
O último sapo que beijei de Rosetta Forner
PVP 16,50 euros
Muitas mulheres apaixonam-se por homens que, na melhor das hipóteses são autênticos sapos, e na pior , príncipes desencantadores. Não vá em contos de fadas; aprenda, ao longo destas páginas, a descobrir a magia no quotidiano e em si mesma - e a encontrar a capacidade de transformar a sua vida para melhor.


Boas leituras e uma excelente semana!!!

quarta-feira, 23 de março de 2011

segunda-feira, 21 de março de 2011

PRIMAVERA - 21 de Março de 2011


Os poderosos podem matar uma, duas ou três rosas, mas jamais conseguirão deter a Primavera inteira.
Che Guevara

quinta-feira, 3 de março de 2011

A primeira de muitas!

Podem encontrar a primeira croniqueta da menina aqui...
http://www.facebook.com/note.php?note_id=203160289710048&id=128338770538557
Para os mais preguiçosos, deixo aqui também...


"Cansei-me de ti!
Cansei-me do som da tua voz, das mesmas constantes palavras, das tuas lágrimas desesperadas e do teu comportamento irracional!
Cansei-me da forma como me olhas, como todos os dias me encontras um defeito e me criticas. Se sou o teu saco de pancada predilecto pelo menos bate-lhe em vez disto.
Cansei-me tanto, mas tanto de ti que não sou capaz de te voltar a por a vista em cima e por isso te peço que desapareças. Que vires as costas e não voltes, não és bem-vinda na minha vida.
Cansei-me dos teus berros, das horas de súplicas ridículas ao telefone, dos soluços decadentes Não tens vergonha de te humilhares dessa maneira?
Cansei-me desse olhar, dessas rugas, do rosto marcado pelo choro, o cabelo por pentear, e o cheiro nauseabundo que já não tenho a certeza de ser teu.
Cansei-me dos mesmos lençóis, da mesma vista, do mesmo quarto, da mesma casa, da mesma vida!
Cansei-me das promessas de que vais mudar, que vais crescer, que vais inaugurar um novo alguém. És inútil!
Cansei-me das exposições do teu corpo em busca de uma compra que sempre acaba numa devolução.
Cansei-me de te perdoar, de te tentar compreender, de te aceitar.
Cansei-me do bicho nojento que és. De não ergueres nem a face ou a voz quanto mais a tua própria vida. Não há nada aí dentro de ti a não ser um vazio miserável que jamais se irá preencher!
Cansei-me da tua boca constantemente por beijar, dos abraços sem vontade, dos sorrisos amarelos de conveniência, dos amo-te que ficaram por dizer…
Cansei-me da ilusão, dos sonhos não sonhados, de te ver correr se nunca chegar.
Sabes que mais?
Cansei-me de ti…mas cansei-me tanto que não vou voltar a ver-te.
E por isso te digo agora que chega.
Cansei. Entendes que me cansei?
Espera…estás mais magra? Estás a sorrir porquê? Não ouviste o que te disse?
Acabou…é o fim…
“- Eu sei…”
Quem falou?
Agora além de parva és louca?
Sem novidade, ia chegar esse dia, em que nem ias saber quem eras de tão reles que te irias tornar mas…
Estás tão bonita…Não…
Cansei-me de ti! Pensas que não sei que provavelmente contrataste alguém que me prendesse de alguma maneira e que de repente eu te pusesse os olhos em cima e te visse além do que és?
Nunca tinha reparado no brilho da tua pele, tão suave. Para de sorrir para mim, porque te estás a rir se te estou a mandar embora e desta vez sem retorno. Sei que agora sim em nada falhei!
Não tens orgulho? Larga-me…para que me abraças se já te disse que te odeio…tenho nojo de ti…Que cheiro tão doce…este toque é teu?
“- Eu amo-te…perfeita como és!”
Espera, onde vais? Volta aqui, não vás embora…espera por favor…
Mudei de ideias, não me cansei…espera eu posso mudar também e aceitar-te como és…pára de correr.
Porque é que não me consigo mexer.  Pára, volta aqui…
Não consigo respirar…há alguém em cima de mim?
Sempre voltaste, o que é que agora é diferente? Sempre fomos assim…espera…
Que gente é esta?
Porque não voltas?
“- Porque desta vez fizeste tudo sem hipótese de falhas! Adeus…”
Não…espera…mas eu…quem é que está a falar?
Porque é que eu não sinto nada? Estás a levar-me…Pára…
Eu…que vozes são estas?

-“Quem declara?”
-“Maria; Hora da morte: 23h41 – Suicídio - Intoxicação medicamentosa”
-“Um dia ela acertava!”

por Susana Dias Ramos